Cinco dicas para a adequada gestão do Departamento de Crédito

Frequentemente, quando se fala em análise de crédito vem à cabeça a necessidade de análise de balanços e pesquisa de informações no mercado. Realmente essas informações são indispensáveis para a avaliação do risco, mas apenas esses dados não são suficientes para a adequada gestão do risco de crédito.
Na adequada gestão do Departamento de Crédito deve-se ter cuidado com a administração dos seguintes aspectos:
• Desenvolvimento de pessoas
Ter uma equipe formada por profissionais com bom perfil técnico para a adequada avaliação do risco de crédito, e com boa capacidade de comunicação para a coleta de informações necessárias, para a negociação interna quanto ao limite de crédito a ser definido, e para a comunicação da decisão de crédito para a Área Comercial e para as pessoas que tem o poder de decisão quanto à definição do limite de crédito. Por isso é importante o investimento em treinamentos e incentivos para que os profissionais de crédito entendam bem as estratégias e a cultura de realização de negócios da empresa;
• Desenvolvimento da cultura de gestão do risco de crédito na organização
Divulgar os critérios de gestão do risco de crédito, principalmente para os profissionais da Área Comercial, pois além de serem os principais clientes do Departamento de Crédito dentro da empresa, ajudará muito no desenvolvimento no fluxo de informações para coleta de informações, na análise do risco e na decisão de crédito equilibrada. Ou seja, aprovar crédito para clientes que realmente tem potencial para fazer negócios com liquidez, e evitar operações a prazo com clientes com alto potencial de inadimplência. Apesar de num primeiro momento esse equilíbrio parecer óbvio, não é uma tarefa fácil de ser realizada de forma adequada, principalmente se a cultura de gerenciamento do risco de crédito não estiver clara e alinhada internamente entre o Departamento de Crédito e a Área Comercial;
• Monitoramento do risco de crédito
Por melhor que tenha sido a decisão no momento da concessão do limite de crédito, a situação de liquidez de alguns clientes podem se deteriorar ao longo do tempo, e agravar o risco de inadimplência dos mesmos. Por isso, para que se possam identificar esses casos, é necessária a criação de indicadores de desempenho para o monitoramento do comportamento de negócios de cada um dos clientes. Dessa forma é possível realizar um trabalho preventivo, com o objetivo de acionar o processo de revisão de crédito assim que um cliente demonstre sinais de deterioração de liquidez. Alguns dos indicadores que podem ser monitorados são: histórico de evolução do índice de liquidez mensal, relatório de acompanhamento dos clientes que apresentam atrasos de pagamento, acompanhamento dos clientes em empresas de credit bureau, identificação de clientes que apresentam limites de crédito vencidos para revisão, etc. Os clientes que apresentam sinais de deterioração da capacidade de liquidez devem ser reavaliados, a fim de que se possam tomar medidas, com o objetivo de reduzir o risco de perdas por inadimplência;
• Proteção do risco de crédito
Existem alguns mecanismos de proteção do risco de crédito, como a cessão de recebíveis, financiamentos das vendas sem direito de regresso, e o seguro de crédito. O seguro de crédito é o produto de proteção de risco que mais tem se popularizado no Brasil, embora poucas empresas, principalmente multinacionais, tenham por cultura a contratação desse produto. A proteção do risco de crédito tem como objetivo reforçar as ações de redução das perdas financeiras causadas pela inadimplência de clientes. A respeito deste ponto o leitor pode estar pensado: Ora, temos uma equipe de crédito competente e bem estruturada, fazemos o monitoramento do risco de crédito e tomamos ações para a redução do risco de crédito da carteira, temos o suporte da Área Comercial no processo de gestão do risco de crédito dos clientes. Porque preciso de mais proteção de risco? A resposta é simples. Um grupo de clientes concentra porção significativa da exposição do risco de crédito. Caso algum evento imprevisto afete negativamente algum desses clientes, é importante ter opções de recuperação desse ativo, com o objetivo de se preservar o fluxo de caixa da empresa. Por outro lado, em algumas ocasiões nos deparamos com solicitações de limites de crédito para alguns clientes, para os quais temos dificuldades de aprovação em função da elevada exposição de risco. Nesse caso, é possível negociar o aumento da cobertura de proteção de risco para a aprovação do limite de crédito desejado, fazendo mais negócios com bom nível de segurança quanto à liquidez da carteira. Abordamos este assunto com mais detalhes no texto “Seguro de crédito – Os benefícios da proteção do risco de crédito”.
• Identificação e gerenciamento dos fatores que influenciam a administração da área de crédito
Como acontece com a grande maioria dos profissionais, seja lá em qual atividade atue, muitas vezes a pressão do dia a dia influencia fortemente o desempenho da produtividade. Na área de crédito, mais especificamente, essa pressão pode influenciar negativamente a qualidade das decisões.
Para maximizar a qualidade da operação da área de crédito, uma boa dica é identificar os principais fatores que influenciam o volume de trabalho gerado no dia a dia. Um exemplo de mapeamento dos fatores que influenciam a Área de Crédito é descrito abaixo:

No processo de análise dos fatores que influenciam a atividade da Área de Crédito, os pontos que apresentam oportunidades de melhoria devem ser trabalhados de forma estratégica, a fim de tornar o trabalho mais produtivo, ou seja, com respostas mais rápidas, com a redução de custos e a melhora da gestão do risco de crédito.
Os textos publicados no blog da CredPartner continuarão abordando de forma mais detalhada e pontual os aspectos referentes a gestão do Departamento de Crédito, pois a gestão do risco vai além da análise da liquidez dos clientes.

Cinco dicas para a adequada gestão do Departamento de Crédito

Deixe um Comentário