Como avaliar o risco de crédito de um cliente de forma consistente

A análise de risco de crédito é uma atividade considerada complexa, porque envolve a coleta de muitas informações, relativas ao produto negociado com o cliente, sobre as características e o mercado onde atua, e quanto ao seu comportamento de negócios no mercado e nos negócios internos no dia a dia. Mas porque esse esforço para o levantamento de tantas informações? A resposta é simples. Quanto mais conhecemos o nosso parceiro de negócios, maior a possibilidade de prever seu comportamento de negócios, e nas conclusões levantadas no final da análise, as decisões de crédito variarão de acordo com a nossa percepção de risco de inadimplência. 

 

Para o desenvolvimento de avaliações de risco de crédito de forma consistente, é necessário a definição de estratégias de identificação do segmento do mercado em que o cliente atua, conhecer os pontos fortes e de ameaças envolvidos nesse mercado, ter informações a respeito de como a empresa avaliada faz a gestão do seu negócio no contesto do mercado em que atua, e avaliando o comportamento de negócios da empresa avaliada no mercado. De forma resumida, o objetivo é conhecer bem o cliente, principalmente sob o ponto de vista das suas fortalezas e das suas fraquezas. De forma geral, nos sentimos mais seguros nas decisões de crédito à medida em que conhecemos os riscos aos quais os clientes estão expostos.

 

Na atividade de gestão de risco de crédito tendemos a nos sentirmos inseguros no momento da tomada de decisão quando há falta de informações que nos permitam chegar a uma conclusão consistente sobre o risco que o cliente representa. À medida em que aumentamos o conhecemos a respeito do cliente, inclusive cruzando informações a respeito do mercado em que o cliente atua, dos riscos identificados a respeito do cliente, e avaliando a adequação da proposta de negócio às condições de risco do mercado e do cliente, a tendência é que os riscos do negócio sejam identificados, e a sensação de incerteza diminua. 

 

Para que a avaliação de risco de crédito seja realizada de forma consistente, é necessário a definição de alguns pré-requisitos:

1) preparar o time que trabalha na área de crédito para realizar a leitura adequada de todas as informações disponíveis a respeito do cliente, e transformar essa leitura em recomendações de crédito consistentes;

2) estruturar a política de crédito de forma adequada, definindo informações a serem coletadas nas avaliações, estratégia de coleta das informações, critérios de processamento dos dados para a determinação do risco que o cliente representa (score de risco);

3) definir os critérios de determinação de limites de crédito;

4) monitorar o comportamento de pagamento da carteira de riscos, a fim de identificar clientes que apresentam sinais de agravamento do risco de crédito;

5) definir estratégias e ações de mitigação de risco para as exceções identificadas na fase de monitoramento do risco.

O conjunto desses pré-requisitos também é conhecido como política de crédito. Os aprendizados adquiridos na experiência da gestão da política de crédito, com cada cliente, e com o comportamento da carteira como um todo, devem ser utilizados para a realização de constantes ajustes nos critérios de gestão do risco.

Dessa forma seus critérios de decisão estarão sempre atualizados e em linha com as melhores práticas do mercado para essa atividade

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *